sexta-feira, 26 de junho de 2009

CONFORME PROMETIDO...

video

No dia dos namorados eu me presenteei com um salto de pára-quedas, o melhor presente que já me dei em todos os tempos, é verdade. Prometi colocar o vídeo para que todos sentissem um pouco da adrenalina que eu senti.

Mas não se trata somente de adrenalina, eu senti mesmo foi pânico. Agora que já que comecei, deixem-me contar as coisas direito. No outro post vocês leram a narração do presente de dia dos namorados, agora vocês lerão a narração de todo o processo que me levou a esse ato insano. Sim, porque na hora em que a porta do teco-teco é aberta aquele sentimento “Nossa, que foda, eu sou corajosa mesmo, hein? Vou saltar de pára-quedas!” é trocado pelo sentimento de “Nossa, que idiota que eu sou, porque diabos eu estou saltando de um avião em movimento???”.

Há alguns meses, mais precisamente dizendo em março, quando completei 30 primaveras, eu prometi ‘me dar’ um presente bem bacana e diferente para marcar a data, afinal, eu sempre esperei pelos 30. Sim, a maioria das pessoas espera pelos 18 ou 21, mas eu sempre achei que aos inta eu seria uma mulher mais completa, e sou mesmo! A minha vida nunca esteve melhor, em todos os aspectos... Mas voltando ao assunto, meus amigos e o meu irmão juntaram-se a mim em uma balada que foi divertidíssima, o que já foi um presentaço, então o salto ficou para presente de dia dos namorados.

O grande dia

Eu não podia falar para a minha mãe _ super protetora_ que eu saltaria de pára-quedas. Odeio mentir, mas não havia solução e a mentira teria tempo certo para durar, então o peso na consciência foi um pouquinho menor. Mas só um pouquinho. Na verdade, eu sou a favor de falar a verdade sempre, doa a quem doer, mas a minha mãe iria passar o dia todo preocupada (depois ela até assumiu que eu fiz bem ocultando os fatos, porque ela não conseguiria me impedir e ficaria realmente muito preocupada), sendo assim, eu menti por uma boa causa. Mas reafirmo que acho a mentira o fim da picada!

Deixei uma amiga ciente de que iria saltar (para se caso acontecesse algo comigo as pessoas soubessem onde me procurar) e lá fomos nós, eu e a minha mochila para o terminal rodoviário Barra Funda.

Cheguei ao terminal por volta das 11h30, comprei a passagem e um livro do Losekan que estava em promoção (sim!) e comi um lanche leve. O ônibus que vai à Boituva é bem confortável. Li, comi a minha barrinha de cereal, ouvi o meu mp3 e por volta das 14hs eu já via o céu cheio de pontos coloridos. Eram com um daqueles pára-quedas que eu iria voar!

Na chegada várias turmas, as dos descolados que querem mais o vídeo publicado no youtube do que o salto mesmo, as dos empresários e que fazem desse tipo de esporte uma terapia para descarregar o stress do dia-a-dia, a dos administradores que recebem treinamentos onde o salto de pára-quedas _segundo que ministra esses treinamentos_ pode ajudá-los a tornarem-se mais competitivos, as dos nerds (sim, havia uma turma de garotas, todas orientais por sinal, que faziam alguma coisa relacionada à área de exatas na USP) e as periguetes. Gente, as periguetes são uma praga, elas estão em todos os lugares com as suas calças vestidas a vácuo, os decotes que mostram até o umbigo. Mas enfim...

E eu estava lá também eu e o... a ... minha mochila??? Sim eu viajei sozinha, mas me dei conta de que estava sozinha mesmo quando cheguei ao campo. Mas beleza, não posso depender de ter companhia para fazer tudo na vida, ? Fiquei com vontade, fui e fiz.

Conheci um pessoalzinho (a gente sempre acaba se enturmando), dei umas voltas no lugar, tirei fotos, relaxei e o Adriano (o gatinho que foi meu instrutor) me chamou para fazer o treinamento de dois minutos que vocês vêm no vídeo (isso mesmo, para saltar de pára-quedas em salto duplo são dois minutos de treinamento) e lá fomos nós para o teco-teco.

O Salto

No voo eu era a única que estava fazendo salto duplo. Todas as outras pessoas saltaram sozinhas porque faziam treinamento para tornarem-se instrutores ou para adquirir a licença que permite que a pessoa pratique o salto solo. Eu não tive ninguém para dar aquela forcinha, aquele: “Vai Denise!”, mas tudo bem, ossos do ofício. Já que resolvi ir sozinha...

Mas sabe que a auto-suficiência às vezes pesa. Eu senti falta dos meus amigos, principalmente quando a porta do avião se abriu e as pessoas foram simplesmente se jogando, uma atrás da outra, sem nenhum gritinho de incentivo ou batidinha nas costas...

Eu sei é que quando eu vi aquele monte de formigas atômicas com seus macacões coloridos e seus capacetes pulando no vazio bateu o pânico. Antes de sair do chão eu disse que não iria desistir de jeito nenhum e que queria emoção, e o Adriano levou isso muito a sério. Na hora do salto nós não pulamos ‘de uma vez’, ele deu uma paradinha na porta para que eu pudesse apreciar Boituva vista a uma distância de 12 mil pés de altitude, e só depois, quando o pânico estava insuportável, é que ele saltou.

Nas minhas andanças pelo campo de salto descobri que há pessoas que se agarram à porta do avião como se fossem gatos mesmo, outras se prendem a qualquer coisa que dê para segurar, mas eu me limitei a pedir humildemente, com voz chorosa, que não fossemos. O Adriano, por sua vez, preferiu obedecer à minha primeira recomendação: “Aconteça o que acontecer, pule, porque eu não quero desistir!”.

Assim eu fui, em queda livre por quase 60 segundos, sendo que desses, uns 10 eu passei em sem respirar, de tão tensa que fiquei. O importante é que fui! É isso, queria compartilhar esse momento com vocês, mas ó: Não é para rir, ok????? Eu estava sozinha e tals...
NÃO É PARA RIR, OK???

Olha, eu recomendo. Amei saltar e meu próximo passo é pular de bungee jump!

quarta-feira, 10 de junho de 2009

SOLTEIRA E FELIZ NO DIA DOS NAMORADOS



Já virou tradição. Todo 12 de junho eu me presenteio, já que namorar que é bom eu não faço há ‘alguns’ longos anos rsrsr. Só que eu tenho um predicativo que os gestores de RH amam ouvir em entrevistas: uma atitude positiva e pró-ativa diante de situações ‘desfavoráveis’. Sendo assim, ao invés de ficar maldizendo a data ou invejando a garota feia, burra e chata que tem um namorado perfeito, eu concentro as minhas energias em mim. O dia dos namorados é mais um dia em que eu ‘me dou’ presente, simples assim!

É engraçada a nossa capacidade de transformar coisas bacanas em coisas angustiantes... Gente, não ter namorado (diferentemente da ironiazinha que fiz no primeiro parágrafo) não é ruim. Essa idéia de que todo mundo tem que estar junto de alguém o tempo todo é um complô da mídia e do cartel de buffets e de estilistas que desenham vestido de noiva! Huahuauha! 

Brincadeiras à parte, o que é péssimo ,de verdade, é ficar com sentimento de ‘lacuna’ por não estar namorando. Nós já nascemos completos. Casamento e filhos chegam à nossa vida para torná-la ainda melhor, mas não significa que
seremos completos quando eles chegarem. Então vamos curtir a solteirice, minha gente! É uma delícia pegar um buzão e ir a uma cidadela de interior munida de uma câmera fotográfica e de muita cara de pau! É bacana ir ao teatro ver aquela peça de sacanagem que é melhor assistir sozinha mesmo... É muito legal pegar um guia da cidade, escolher uma das exposições e aventurar-se sozinha a uma delas! Cineminha sozinho também é legal! Ah, e a praia? A sensação de liberdade e paz quando você toma aquele banho de mar, senta-se na areia e ficar olhando para aquele monte de água sem fim... 

Para nós, mulheres, em especial, há um gostinho maroto de independência ao pegar um avião sozinha sabendo que o papai e a mamãe estão em casa e quando chegarmos seremos nós por nós!

É massa namorar, mas também é 10 ser solteira e gostar da própria companhia! Acredite! Não estou fazendo apologia à
solidão way of life. Não é isso, eu só acho bacana curtir TODAS as fases da vida, inclusive valorizando aquelas nas quais estamos sozinhos. 

Fora as histórias para contar. Olha só eu, por exemplo, vou contar para meu filhos que antes de conhecer o pai deles eu curti muito e quando a professora pedir a eles que façam uma redação e o tema foi “mamãe” eles vão escrever assim: a minha mãe tem uma tatuagem de dragão nas costas que fez com 21 anos e quem significa força. Ela estudou educação física, mas parou no meio do caminho e não se arrependeu de começar tudo de novo. Ela é jornalista, psicóloga (minha próxima faculdade) e estudou para ser professora de educação infantil. Depois ela conheceu o meu pai e eles trocaram várias experiências e começaram a fazer experiências juntos, aí eu e a minha irmã nascemos (quero ser mãe de um casal de filhos). Tá vendo como é bom convivermos bem com nós mesmos??? Olha no que pode dar!

Ah, isso sem contar com os amigos queridos! Como esquecermo-nos deles? Nossas companhias nas piores e nas melhores horas são esses maravilhosos seres que tornam-se agregados da nossa família. E falando em famíia, sabia que eu pego um cineminha e um teatro com o meu irmão, a minha tia e a minha mãe? E é muito legal, viu? O único inconveniente é que geralmente as pessoa pensam que eu sou namorada do meu irmão, reduzindo muito as chances das garotas se aproximarem dele... rsrsr

Olha só quanta coisa tem para curtir sem namorado! Não entendo porque tem gente que ainda reclama de ser solteiro... Eu confesso que às vezes o faço, mas passa tão rápido... 
Portanto, quem está namorando, se está feliz, curta pra valer! 
Quem não está namorando, curta-se a valer! 
Essa é a ordem do dia 12! 

Dê-se presentes, valorize-se porque é legal gostar de si mesmo e apreciar a sua própria companhia! Acredite, não há companhia melhor do que a sua!  Além de todas as beneficies já citadas, curtir-se te prepara para futuras relações, sabia? Deixa a auto-estima em dia e faz um bem danado! 

Bem, o que será que vou ‘me dar’ no ano que vem? Vai ser difícil me superar... O presente que eu ‘me dei’ este ano foi fod@ com o perdão da expressão!

Ou quem sabe até dia 12 de junho de 2010 eu tenha encontrado o meu inteiro...

Mas e você, solteiro de plantão, o que vai "se dar" de presente neste dia dos namorados?

PS: O meu presente (antecipado porque sempre preferi comemorar antes a comemorar depois) foi um salto de pára-quedas que aconteceu no domingo passado, dia 7 de junho. Eu fotografei e filmei, mas o vídeo está em uma produtora sendo reduzido e adaptado ao formato compatível ao youtube. Na semana que vem eu o posto aqui, por hora, ficam só as fotos mesmo!