domingo, 18 de fevereiro de 2007

COM ESSA CÚMULUS NIMBUS* SOB A MINHA CABEÇA, SE EU FOSSE PEQUENA, A MINHA MÃE ME LEVARIA LOGO PARA BENZER.


Nossa; hoje foi um dia de cão na livraria. Já saí de casa “naquele” mau-humor. O fato de ir trabalhar em pleno sábado, véspera de carnaval, e debaixo de um sol “de rachar”, derrubou o meu astral. Fiquei reclamando o dia inteiro com qualquer um que se aproximasse. Imagine só que hoje eu até falei com pessoas que nem conheço só para poder dar uma reclamadinha.

Qualquer assunto era ponte para o início da minha lamúria. A pessoa perguntava sobre um livro do Jorge Amado e eu já soltava logo: Pois é, se eu não estivesse trabalhando aqui poderia estar lá na terra dele, a Bahia deve estar tudo de bom agora. Outra pessoa comentava inocentemente sobre o calor que estava fazendo e eu já falava que a praia, aquele lugar onde as pessoas devem estar se divertindo à bessa, deve estar ótima.

Todos os clientes que se aproximaram de mim sentiram a minha fúria por perder um sábado de sol vendendo livros. Distribuí sorrisos cínicos, aqueles de canto de boca, com a sobrancelha arqueada, sabe? Nossa, ainda bem que o meu gerente está de férias. Curtindo o carnaval, é lógico.

Mas essa cúmulus nimbus* que pairava sobre a minha cabeça saiu logo que eu cheguei em casa, mas a minha mãe está se preparando para ir à praia. Humpf!!! Saco!!! Olha a cúmulus nimbus voltando aí. Se eu fosse pequena, a minha mãe ia dizer que todo esse meu mau-humor é fruto de mau-olhado. Ela ia me levar logo para benzer!!!
Ai meu Deus, me dê um estágio de segunda à sexta, por favor!!!! Só assim para o meu mau-humor ir embora de vez.

* Cúmulus nimbus uma nuvem causadora de tempestades.

Um comentário:

Camila disse...

Hahaha...
Acho que essa CÚMULUS NIMBUS não persegue só as pessoas que trabalham em pleno feriado de carnaval... Mas tb as que tem o feriado livre para fazer NADA... Saco!!!